REGRAS PARA SE FAZER O POEMA VARANO

sexta-feira, 29 de abril de 2011

O Burro

Ilhado num mundo de sonhos
Caminha por pedras e espinhos
A dor que lhe fere disfarça
Da trilha desvia o caminho...

Ilhado num sonho sem mundo
Resvala nas pedras de limo
Levanta-se, seca a ferida
e galga a montanha até o cimo...

De lá isolado e distante
a dor lhe oferece uma trégua...
Respira da vida um alento
e põe-se a andar outra légua...

Não usa anteparos nos olhos
Não se ouve um relincho, nem urro...
Melhor animal que humano
Que ser desumano – O Burro!...