REGRAS PARA SE FAZER O POEMA VARANO

terça-feira, 22 de março de 2011

Aventura

Aventura

Bradam lá dentro em uníssono mil vozes
Admoestando com sermões o meu pensar
Cala no canto o acalanto sem cantar
Aperta o peito dor sem jeito, sem algozes

Não vejo a ponta do ice-berg a me rondar
E em minha ronda sigo a estrada sem tropeço
Aponto o rumo, mas me falta o endereço
E bradam vozes em uníssono a gritar...

Risco a estrada e me arrisco no caminho
Revolvo a lânguida memória qual moinho
Para arrancar na mais valiosa aventura!

Lá estará a minha amada na janela
Olhar longínquo a rainha que é mais bela
Braços abertos a esperar-me em formosura!...