REGRAS PARA SE FAZER O POEMA VARANO

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Rosa-Mulher

Tão meiga,
Tão bela,
Formosa,
Dengosa,
Tão linda mulher!

Tão doce
Sorriso!
Te miro,
Suspiro,
Ó meu mal-me-quer!

Ó ingênua donzela,
De encantos tão raros,
De negros cabelos,
Teus suaves pelos
Eu quero afagar!

Teu corpo desnudo,
A se retorcer,
Em rúbido manto...
Deliro de encanto
E o quero beijar...

Teus olhos
Profundos,
Brejeiros,
Ligeiros,
Espelhos ao luar!

Tua pele
Macia,
De rosa
Mimosa,
À beira do mar!

Teus lábios em flor,
A boca entreaberta,
Em noites de lua,
Beijando, na rua,
Em hora qualquer...

São preces de Musas,
Poemas de amor,
Suaves ternuras,
Carinhos, doçuras,
Ó Rosa-Mulher!