REGRAS PARA SE FAZER O POEMA VARANO

terça-feira, 2 de novembro de 2010

PELOS CAFUNDÓS DE NOSSA CULTURA

Uai, sô! diz o mineiro,
sujeito desconfiado.
Ô louco! diz o paulista,
como sempre apressado

                        Oxente! diz o baiano,
                        quase caindo de sono,
                        pelas ruas do Pelourinho,
                        que nem cachorro sem dono.

Éééégua! Exclama o paraense,
éééésse! Lá no Maranhão.
No norte em geral: É massa!
E no Rio: Esse é bão!

                        Por esse mundão de Deus,
                        ainda lá no nordeste,
                        os “home” têm dez ”muié”
                        “pexera” e “caba da peste”.

O erre, erre enrolado,
onde o “carro” vira “caro”
vai de São Paulo pra baixo,
lá onde o “barro” é “baro”.

                        Fui a Santa Catarina,
                        “daí” e “né” toda hora.
                        O Paraná, que é lá perto,
                        não podia ficar de fora.

Báaa, chê! Lá no Rio Grande,
tri legal! Também é lá.
“Tu foi”, “tu vai”, “os guri”
que às  vezes são “os piá”.

                        Voltei para o sul de Minas,
                        lá é complicado o “falarrr”.
                        É “Berrrlândia” e é “Berrraba”
                        “Belzonte” é a “capitárrrr”.

E “vorrrtando” ao sul de Minas,
(tô falano igualzim)
comi tutu com torresmo,
galinha, angu e um “quejim”.
                        Êta viagem pai d'égua!
                        dito lá no Maranhão,
                        vi sapo criando asa,
                        cobra saindo do chão,

pé de couve de dois metros,
vi o peixe voador,
vi baiano trabalhar!!!
(estive em Salvador).

                        ............................................
                        Vou poupar os seus ouvidos,
                        o que é muito merecido,
                        mas conheça esse Brasil,
                        não se faça de metido!
                                                                                 
Do meu livro "Poesia em Vários Tons" http://www.ineifran.recantodasletras.com.br/