REGRAS PARA SE FAZER O POEMA VARANO

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Chuva

Chove, chuva,
em nossos corações
chuva de esperança
chuva de bondade
misto de alegria
som de nostalgia
chuva de saudade...

Chove, chuva,
banha as ilusões
e também os sonhos
inunda as paixões
belas e brejeiras
como as amoreiras
lá dos meus rincões...

Chove, chuva,
deixa a opacidade
desse acinzentado
cobrir a cidade
lavar os telhados
e lavar as ruas
com suas vidas cruas
cheias de passado...

Chove, chuva, chove...
faz brotar botões
vem tingir de verde
verde de esperança
os novos pendões
como na lembrança
de tantas andanças
lá dos meus sertões...
Chove...